quarta-feira, 27 de março de 2013

Capela dos Coimbras

A Capela da Nossa Senhora da Conceição, também designada de Capela dos Coimbras, é um monumento nacional localizado na cidade de Braga, construído entre 1525 e 1528. 

@


1,2

Durante as solenidades da Semana Santa esta capela é aberta ao público, este ano essa abertura será nos dias 24,  28 e 29 de março. Durante o resto do ano, à excepção do dia 8 de dezembro, esta relíquia encontra-se encerrada ao público e completamente desaproveitada.

Enquanto esta mentalidade não for alterada em Braga, independentemente de se tratar de uma propriedade privada ou pública, o património continuará a representar um fardo que é necessário manter e cuidar, e nunca representará a mais valia que poderá potenciar o desenvolvimento da cidade e da região. Este é mais um dos exemplares a integrar num plano alargado para o turismo de Braga.

No domingo dia 24, foi então possível visitar o interior deste monumento. Aqui ficam as imagens:












Edificada cerca de 1525, a Capela da Nossa Senhora da Conceição integra o conjunto da Casa dos Coimbras, tendo sido construída como capela deste palacete. A designada Casa dos Coimbras servia, em meados do século XV, de residência a eclesiásticos, tendo sido adquirida em 1505 por D. João de Coimbra, provisor da Mitra de Braga. 

Foi D. João de Coimbra que no final do primeiro quartel do século XVI contratou mestres biscainhos, que à época trabalhavam em Braga, para edificarem o templo privativo da sua casa. A capela, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, apresenta um modelo de "igreja-torre", com planta quadrada, numa tipologia derivada dos modelos castilhianos. 

A fachada, edificada como um torreão, divide-se em dois registos distintos, o primeiro correspondente ao portal, antecedido por galilé, o segundo com janelas maineladas e esculturas em relevo na silharia da torre. O programa decorativo da fachada, que abrange tanto os relevos do portal como as figuras que ornamentam a torre, é atribuído a Filipe Odarte (SERRÃO, Vítor, 2002, p. 154). 

O espaço interior é coberto por abóbada de nervuras decorada por florões e pedra de armas. O altar-mor apresenta esculturas inseridas em nichos, enquadradas por figuras mais pequenas em mísulas com baldaquinos. Este conjunto é atribuído a João de Ruão, sendo identificada como uma obra da sua primeira fase de trabalho. 

Junto ao altar, inserido num arcosólio com as armas de D. João de Coimbra, foi edificado um conjunto escultórico com a Deposição no túmulo , também atribuído ao escultor João de Ruão, pela semelhança que apresenta com algumas das suas obras, embora seja de uma fase posterior. As paredes laterais da capela são revestidas por painéis de azulejos com temas da Criação do Mundo. 

A capela surge representada numa magnífica gravura de 1847, de C. Legrand, com a data de construção de 1512.