domingo, 18 de novembro de 2012

Da Fábrica Confiança só interessa a fachada?

A Fábrica Confiança ardeu pela 5ª vez este ano. E qual não é o espanto quando Vítor de Sousa defende o seguinte no Público:
A parte mais nobre do edifício histórico, a fachada, não foi danificada pelo fogo. O vice-presidente da Câmara de Braga, Vítor Sousa, desvaloriza, por isso, o impacto do incêndio sobre o edifício que a autarquia pretende transformar num novo espaço de atracção da cidade. “O projecto que temos prevê a demolição de quase todo o espaço, mantendo apenas a fachada”, informa.
@

Quando é que os responsáveis por estas intervenções, no edificado histórico, compreendem que o valor desse edificado não está na inclusão de espetaculares exibições da arquitetura contemporânea, mas por transportarem o visitante a outras épocas.

De que interessa manter uma fachada dum edifício de interesse e uso público, se toda a alma foi arrancada do mesmo?


O que pensam os bracarenses?