sábado, 9 de junho de 2012

Há bens que vêm por mal - Regenerar Braga

Há males que vêm por bem, mas em Braga "há bens que vêm por mal".

No âmbito do projecto regenerar Braga diversos "bens" arqueológicos foram surgindo, para "mal" do que estava projectado. Mas todos eles acabaram enterrados ou destruídos.

Tal como tinha sido alertado aqui no BragaOn, seria e será necessária muita atenção relativamente aos achados arqueológicos que vão surgir, em especial no Largo Carlos Amarante. 
Na realidade há já relatos da destruição de parte de um aqueduto (documentado aqui pela ASPA) que poderia ter integrado o sistema que levava a água das Sete Fontes (Monumento Nacional ao abandono), até à área do Convento dos Remédios.

Apesar destes "bens que vieram por mal", as empresas responsáveis pelas obras, fazendo jus às palavras de Mesquita Machado, demonstraram como se tratam todos os "calhaus" que apareceram nos diversos locais, dando uma lição a Guimarães e a todas as pessoas e entidades que pensam de forma diferente 1 2. Mas ao que parece em Braga preparam-se para dar mais uma lição

Foto de Luís Tarroso

Fica a pergunta, se resolveram isolar o espaço da obra após as primeiras escavações e relatos de destruição, o que se preparam para fazer de seguida?

O pensamento vigente em Braga...
"Há bens que vêm por mal"

Mais mensagens relacionadas com o projeto Regenerar Braga.