quinta-feira, 28 de junho de 2012

São João de Braga e o "ataque do Portocentrismo"!?


A origem do São João de Braga é difícil de determinar, existindo referências a celebrações religiosas no século XII e a existência de uma Igreja Paroquial dedicada a São João.
Contudo, está apenas documentada a organização municipal das mesmas desde 1517 (século XVI). 

Esta festa quase milenar foi também provavelmente a principal festa popular a nível nacional, durante vários séculos.
A importância das festividades em relação às demais, é referida em vários momentos da história:

1754

1901

1921

Atualmente o São João de Braga continua a ser a principal festividade da cidade. 
A presença de dezenas de grupos de todo o Minho mas também de outras regiões de Portugal e de Espanha atribuem às festividades uma dimensão religiosa e cultural de relevo nas festas populares portuguesas, à qual se junta a dimensão popular com centenas de milhares de foliões e visitantes.

Contudo apesar da dimensão popular, religiosa, cultural e histórica que tornam as festividades únicas em Portugal, incompreensivelmente deixaram de merecer a atenção devida por parte da comunicação social e da atual Região de Turismo do Porto e Norte.

A Região de Turismo do Porto e Norte coloca:
- nos vídeos promocionais de Portugal, apenas os balões e os fogos de São João do Porto;
- nas edições que fazem relativas aos eventos, o São João do Porto é descrito de forma apaixonada com um texto cheio de adjetivos e fantasia enquanto o de Braga é descrito de forma sumária, o texto tem mais parágrafos é mais estreito e curto, a restante edição;
- no facebook o São João de Braga, simplesmente não é referido (assim como a Braga Romana também não foi), ao contrário do São João do Porto.

Já na comunicação social nacional praticamente não há qualquer referência, e não consta dos telejornais, este fato é mais gravoso quando existe uma televisão pública com o dever de abranger todo o País. A exceção a este fato nos últimos anos, foi o programa “Somos Portugal” da TVI.

Este tratamento apenas se torna explicável através da ação de um lóbi em favor do Porto, e na intenção de beneficiar o São João de Porto em detrimento do de Braga. Apesar de o São João de Braga possuir uma riqueza histórica, religiosa e cultural superior.

Cabe aos Bracarenses zelar pelos interesses do município e das festividades, uma vez que os políticos locais em funções, por motivos desconhecidos estão acomodados.