quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Regenerar Braga - O Campo das Hortas e outras 12 intervenções

Pode ler-se no Correio do Minho

Obras no Campo das Hortas facilitam acesso ao centro
2012-02-02



Durante o mês de Fevereiro devem iniciar-se quatro novas frentes de obras de renovação de espaços públicos, no âmbito do Programa Estratégico de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Braga, que se juntam às empreitadas já em curso no Campo das Hortas e na Rua de S. António da Praça.
Há dias arrancaram as obras de requalificação do Campo das Hortas e da Rua Andrade Corvo, uma empreitada orçada em quase 700 mil euros que irá criar um corredor livre de barreiras arquitectónicas entre o Largo da Estação e o Arco da Porta Nova, facilitando o acesso entre um dos principais pontos de entrada na cidade e a zona pedonal do centro histórico.
Os passeios na Rua Andrade Corvo serão alargados para cumprir esse objectivo.
O mesmo tipo de intervenção está a ser feita no passeio nascente da Rua de S. António da Praça e o seu prolongamento até à Rua da Misericórdia, ao longo do topo nascente da Praça Municipal.

Senhora-a-Branca e Carlos Amarante

Fonte camarária adiantou ao Correio do Minho que, ao longo do mês de Fevereiro, devem iniciar-se obras de requalificação de superfície no Largo da Senhora-a-Branca, no Largo dos Penedos- Rua S.Vicente - Rua Júlio Lima e no Largo Carlos Amarante.
Em Março iniciar-se-à idêntica intervenção na Avenida Central e Rua do Chãos. O processo de adjudicação desta frente de obras do Programa Estratégico de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Braga é analisado hoje em reunião da vereação bracarense.
Com a realização simultânea deste conjunto de obras de requalificação de espaços urbanos, são de prever, nos próximos meses, condicionamentos de trânsito em diversos pontos da cidade
Se tudo correr dentro do programado, até ao final de 2012 serão investidos 3,5 milhões de euros na renovação de espaços públicos da cidade de Braga.
São 13 as intervenções de requalificação de espaços urbanos já adjudicadas ou em fase de adjudicação.
Pensada para um horizonte temporal até 2020, a operação de reabilitação urbana do centro histórico bracarense estima um investimento total entre os os 72 e os 98 milhões de euros.
A intervenção realizada na Rua D. Afonso Henriques, artéria que ganhou uma nova dinâmica após a reabilitação concluída em 2009, serve de matriz para os projectos elaborados para o conjunto de ruas e praças que agora se pretendem revitalizar.

Parece finalmente arrancar a tão anunciada e esperada, regeneração urbana do Centro Histórico, que vinha sendo anunciada desde 2009 em eventos como a feira das Freguesias.

A eliminação de barreiras e o estabelecimento de espaços homogéneos deve prevalecer. Contudo resta fazer uma ressalva à calçada em estrela que se encontra à saída de importantes edifícios como a Igreja de S. Marcos e Igreja de Santa Cruz. Como forma de atribuir preponderância as estes edifícios a calçada poderia ser mantida.

Esperemos também que todas as escavações que se façam tenham o devido acompanhamento arqueológico. Caso algum achado seja encontrado, que este possa até ser devidamente integrado na requalificação ao contrário do que se fez na Avenida da Liberdade. Quando a Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho sugeriu a integração do poço da antiga Rua das Águas, que ao que parece não foi aceite.

Mais mensagens relacionadas com o projeto Regenerar Braga.