terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Em Braga prepara-se nova destruição arqueológica?

O alerta é dado pela Jovemcoop, e pela ASPA.

Nesta imagem da Jovemcoop, pode observar-se a ZEP das Sete Fontes (a verde), a zona de reserva arqueológica "Caixas de Água" (a amarelo), o posicionamento do Forno Romano destruído na construção do Novo Hospital (círculo vermelho maior) e as canalizações romanas encontradas na UM (círculos vermelhos pequenos).
@

A ASPA, além de alertar para a sensibilidade arqueológica do local onde será construída a Alameda a Sul do Hospital, ainda faz uma série de sugestões de muito valor, para organizar esta zona de expansão da cidade, protegendo o Monumento Nacional e a sua ZEP que será gravemente desvalorizada se avançar o plano definido pela CMB.
@

Alameda a Sul do Hospital, será construída na encosta Sul (soalheira) e numa área de enorme sensibilidade arqueológica, sendo quase uma certeza o aparecimento de estruturas arqueológicas de valor.


Imagem da área
@

Após os desoladores acontecimentos no centro da cidade, no âmbito das intervenções do "Regenerar Braga", a que se somam as destruições em São Frutuoso e a destruição de um Forno Romano na área de construção do Novo Hospitalagora as preocupações viram-se para a área da construção da Alameda a Sul do Hospital.

Por todo este passado recente, de desrespeito pelos pareceres dos profissionais mais competentes nesta matéria, pela aparente ausência de intervenção por parte da UAUM e das respetivas entidades competentes nos mais diversos assuntos, resta aos bracarenses voltarem a alertar as entidades competentes para que se efetuem trabalhos arqueológicos prévios à intervenção no sub-solo, e por outro lado procurarem documentar o que será feito.

Estejamos atentos, porque quando destroem o nosso património, todos ficamos mais pobres!
O património não se inventa, protege-se e valoriza-se.

P.S. Ao longo de 2012 a UAUM, CMB, IGESPAR, DRCN foram sucessivamente alertadas, a única resposta foi enviada pelo IGESPAR a informar o reencaminhamento para a DRCN. Assim vai Braga e Portugal.