quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Região de Turismo Porto e Norte prejudica todo o Minho

Nesta mensagem, o BragaOn pretende dar a conhecer a todos os minhotos, a realidade dos números do Turismo do Minho, mais concretamente em relação ao número de dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, atualizados a 30 de Agosto de 2012 no site do INEProcurando desta forma elucidar todos os interessados, sobre o que está em curso.

Como se sabe, a Região de Turismo Porto e Norte de Portugal foi criada em Setembro de 2008, e veio substituir as antigas Regiões de Turismo que funcionaram em pleno até 2007. Desde então a nova região de Turismo tem promovido a marca "Porto e Norte TEM".
@

Com o intuito de verificar a influência da promoção desta marca, e da restante ação sob a denominação de Região de Turismo Porto e Norte de Portugal, procurou-se comparar o último ano pleno das antigas regiões de Turismo (2007) com os valores de 2011, que já refletem mais de três anos de atividade e promoção da marca "Porto e Norte".

Nota: Os dados relativos às dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, foram atualizados a 30 de Agosto, e podem ser consultados até ao nível de município, no site do INE (12).

Tabela de valores:


Gráfico relativo às dormidas nos estabelecimentos hoteleiros:


Como se pode constatar nos números e facilmente visualizar na representação gráfica, o Minho (total das NUTS III Ave, Cávado e Minho-Lima) perdeu cerca de 147.466 dormidas no período em análise, um recuo de 13% relativamente a 2007, sendo a NUTS III Minho-Lima a principal prejudicada, com menos 98.583 dormidas, perdendo 27% das dormidas de 2007. 

Em contra partida, o número de dormidas no município do Porto e no Grande Porto cresceram 323.399 (22%) e 395.330 (17%) respetivamente. 
As restantes NUTS III, apesar da menor expressão do Turismo, com excepção do Douro com uma perda de 8.065 (-3,5%), apresentaram também um acréscimo do número de dormidas, Tâmega 51.036 (51%), Entre Douro e Vouga 13.764 (16%), Alto Trás-os-Montes 13.447 (5%). 

Fazendo a divisão da marca "Porto e Norte", vemos que afinal a metade "Norte" que consta da "marca" perde 77.284 (-4%) e a "marca" Porto que cresce 395.330 (17%). Sendo que o Minho foi claramente a sub-região mais prejudicada.

Apesar de Melchior Moreira desdobrar-se em entrevistas, algumas delas a meios de comunicação do Minho, como a Revista SIM onde recebe amplo destaque numa entrevista onde não é sequer confrontado com a realidade dos números do Minho. 
Torna-se evidente, através da análise do números supra-citados, que mais não está a fazer, do que a sonegar os valores das sub-regiões, reportando-se apenas aos valores globais da região. Omitindo desta forma a enorme perda de todo o Minho, em contraste com a enorme centralização das dormidas no Porto e no Grande Porto.


@

Até quando minhotos?

Urge lutar pela Região de Turismo do Minho.

Mais mensagens sobre o Turismo na Região Porto e Norte.