domingo, 15 de julho de 2012

A Câmara Municipal de Braga e o interesse pelo património

Sempre na vanguarda e de acordo com os pareceres dos peritos nas mais diversas áreas, a Câmara Municipal de Braga conseguiu mais uma vez "enterrar" o património, desta vez não no sentido literal, mas efetivo.

O processo de classificação foi iniciado pela Universidade do Minho em 1981, e recebeu parecer favorável em 1983. Contudo, apesar deste fato, a Câmara Municipal de Braga e os privados conseguiram levar avante diversos projetos que culminaram na desclassificação.


Pode ler-se no IGESPAR:
Proposta de 15-04-2011 da DRCNorte a propor o arquivamento e o envio à CM de Braga para eventual classificação como CIM, por ter havido transformação de imóveis que criaram novos espaços e volumetrias que não correspondem a um valor nacional.



Fonte

Neste momento todo o conjunto de edifícios está desprotegido, e novos projetos que modifiquem as fachadas e proponham alterações de volumetria, podem ser aprovados pela CMB, sem necessidade do parecer favorável do IGESPAR.

Será isto que os bracarenses pretendem para Braga?