terça-feira, 31 de julho de 2012

Edifício dentro da zona de proteção da Sé, para que serve o Igespar ?

Em 2010 o Fórum de Braga, o Bracarae, lançava aqui o alarme.

O utilizador André Carneiro perguntava, "Que coisa é esta? Junto da Sé!"




Nesta foto de Bruno Moniz é possível observar parte do antigo edifício, menos dissonante em relação ao restante edificado.

Fonte

Comparação com a foto colocada no grupo de Facebook Memória de Braga.

Na altura criou-se um texto para enviar às diversas entidades, nomeadamente ao IGESPAR (IPPAR).
Boa tarde, foi tornada pública a existência desta obra em pleno centro histórico de Braga, mais concretamente dentro da zona de protecção do monumento nacional que é a Sé de Braga.
A aproximadamente 35 metros da fachada lateral da Sé de Braga foi destruído um edifício com 2 pisos e construído um novo com 4 pisos, em plena zona de protecção, com uma volumetria e uma arquitectura completamente díspares face à zona envolvente, a Rua do Forno.
Venho por este meio expressar o profundo desacordo face a este tipo de intervenções que destroem edifícios centenários e descaracterizam por completo a arquitectura da antiga cidade medieval e barroca. Estas intervenções representam apenas a destruição do valor patrimonial do conjunto edificado, e à medida que se vão acumulando este tipo de obras, todo o interesse patrimonial, cultural e turístico vai desaparecendo do centro histórico de Braga!
Estando esta obra em plena zona de protecção, resta saber se o IGESPAR foi consultado para a aprovação desta obra, e em caso afirmativo, como foi possível uma obra deste género obter tal aprovação.

Até hoje, pouco ou nenhum interesse foi demonstrado pelo IGESPAR, comunicação social nacional e local, e partidos da oposição.

Foi enviado um email a pedir a publicação do processo e os motivos que levaram o IGESPAR, a DRCN e a CMB, a darem pareceres favoráveis à construção desta obra.

Só com a cidadania ativa podemos preservar o nosso património. Participem também no pedido de esclarecimentos.