sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Atualidades - Mosteiro de Tibães

Pode ler-se no Jornal Norte e é capa do Diário do Minho

Mosteiro de Tibães aposta forte na promoção turística em 2012

O Mosteiro de São Martinho de Tibães, em Braga, e a Direcção Regional de Cultura do Norte, a que o monumento está afecto, vão apostar forte na promoção turística neste próximo ano. Casa Mãe da Congregação dos Beneditinos entre 1567 e 1834, do qual faziam parte 22 Mosteiros em Portugal e 13 no Brasil, pretende-se que o Mosteiro de Tibães readquira a importância que já teve no passado enquanto centro cultural, económico e religioso, agora como pólo de atracção turística e cultural do Norte do país.
Num ano em que o Minho recebe dois importantes eventos internacionais, a Capital Europeia de Juventude em Braga e a Capital Europeia da Cultura em Guimarães, o Mosteiro de Tibães considera esta oportunidade como um excelente meio para captar novos públicos, nomeadamente os muitos estrangeiros que são esperados na região. Neste contexto está já preparada uma ampla acção de divulgação direccionada para Braga e Guimarães junto dos equipamentos hoteleiros e de restauração e dos postos de turismo, que terá início no próximo mês de Fevereiro. Esta acção enquadra-se num projecto mais global que integra o Convento de Vilar de Frades, em Barcelos, e o Mosteiro de Pombeiro, em Felgueiras, denominado “Rota dos Mosteiros em espaço rural no Entre o Douro e Minho”, financiado pelo Programa Regional Operacional do Norte (ON2).
...
No ano de 2011 visitaram o Mosteiro de Tibães 66 578 pessoas. Este número resulta da soma dos participantes das diferentes acções desenvolvidas pelo Mosteiro e dos utilizadores de espaços afectos à Hospedaria e do uso partilhado com a Paróquia. Foram 31674 os visitantes que participaram em visitas e actividades como exposições, concertos e workshops, desenvolvidos pela equipa do Mosteiro de Tibães para os diferentes tipos de público e nas quais se envolveram também muitas entidades.

Quanto à notícia, que está recheada de adjetivos e intenções, no que diz respeito a investimentos e ações concretas das quais se antevejam proveitos efetivos, quase nada.

Os títulos bonitos e as notícias de novas iniciativas, utilizando o vasto património religioso que existe na cidade, vão surgindo, mas a verdade é que o proveito com o Turismo Religioso e todo o restante Turismo de Braga é miserável face ao potencial existente...

É também confrangedor ver que não há qualquer tomada de posição dos políticos locais (todos), quando nos últimos dados (2010), Braga perdeu 6.351 dormidas, o Minho perdeu 121.629, enquanto o Porto ganhou 233.582 e o Grande Porto 245.591, isto no âmbito da nova Região de Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Por muitos títulos e notícias que façam nos jornais locais, com supostas iniciativas e com comparações entre parentes pobres como Braga, Guimarães, Viana do Castelo, ... sem ações concretas e reivindicações em conjunto, todas serão transformadas em meros arredores do Porto, que claramente tem "reinado" a Norte desde 1975.