quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Braga e a ausência de estratégia

Ricardo Rio contesta a opção e a forma como o Parque do Picoto, avançou.



O Parque Urbano do Monte do Picoto com projectos desde a década de 80, avançou agora desta forma...

Parece ser a sina dos Parque Verdes, o Parque Norte... parado, a Renaturalização do Rio Este andou num longo processo até as duas empresas chegarem a acordo... O Parque Urbano das Sete Fontes está a ser conquistado todos os dias pelos Bracarenses que já salvaram o Monumento da Destruição total aprovada pela CMB, em 1994 e 2001, ...

Em relação ao Parque Urbano do Picoto muitos outros assuntos preocupam, desde logo, devia estar em continuidade visual, e física com o Parque da Ponte, Parque das Camélias e a Renaturalização do Rio Este, através da criação de amplos corredores verdes entre os locais em questão, que englobam também vias pedonais e ciclovias. Através da tunelização da N101 e da Variante a ser construída no Picoto (ou abandono da mesma). Ler mais aqui.

A CMB parece claramente continuar com os projectos avulsos sem uma política de fundo:
- Estádio Municipal, 160M€ investidos, ao invés de se rentabilizar o espaço através de eventos nacionais e internacionais, acabou com meia piscina ao lado e a sua utilização entregue por um valor simbólico;
- Theatro Circo, 15M€ investidos, tem uma agenda que o levam a ser a terceira sala de espetáculos do Minho, com uma receita que não atinge os 300.000€ anuais...
- PEB e Grande Auditório ninguém sabe ao certo que agenda cultural possui o maior auditório do Minho com mais de 1200 lugares. O pavilhão Multiusos que também daria para espetáculos, simplesmente nunca funcionou.

Um lista infindável podia ser feita, por hoje basta.

Não basta investir com base na utilização dos fundos, é preciso uma estratégia de médio e longo prazo que justifique os investimentos.