sábado, 21 de janeiro de 2012

Atualidades - Oposição define visão de futuro para Braga


Juntos vamos fazer Braga’ é a iniciativa que a oposição vai desenvolver ao longo deste ano com o objectivo de construir uma visão da cidade que se quer em 2025. “Queremos construir aquilo que nós chamamos ‘Visão Braga 2025’, que no fundo é aquilo que nós queremos que Braga seja daqui a 12 anos, em 2025”, explicou Ricardo Rio, o líder da Coligação ‘Juntos por Braga’, ontem, em conferência de imprensa.

“2025 é um horizonte temporal que vai agregar não apenas um diagnóstico daquela que é a nossa situação hoje, mas de um conjunto de políticas, de iniciativas e de investimentos que se têm de realizar entre 2013 e 2025 para fazer de Braga uma cidade de excelência”, referiu Ricardo Rio.
Mais do que um programa de governo para a cidade, este é apresentado como “um projecto agregador de todos os agentes de desenvolvimento local para construir o futuro de Braga”, sublinhou Ricardo Rio, admitindo que é “um projecto ambicioso”.

Para elaborar essa “visão de futuro”, ao longo deste ano de 2012 a Coligação vai desenvolver a referida iniciativa ‘Juntos vamos fazer Braga”, que se traduzirá em iniciativas de contacto directo com a população, visitas às freguesias, em reuniões com instituições, palestras e debates, entre outras actividades. Rio referiu que o objectivo desta iniciativa passa também por preencher “duas fortes lacunas da actual gestão socialista”.

A primeira lacuna apontada pela oposição refere que “a gestão municipal socialista é feita sem qualquer estratégia, fio condutor ou visão de futuro”. A outra lacuna é uma critica frequente da Coligação e refere-se ao “distanciamento da câmara em relação aos cidadãos e às instituições, não fomentando uma democracia participativa em relação ao futuro de Braga”, argumentou Ricardo Rio.

À falta de estratégia, fio condutor ou visão de futuro, juntaria algo mais. Pois quem tão mal tratou o Património, permitiu o desvirtuar do Centro Histórico, não teve qualquer posição ativa na política Regional, perdendo-se o consenso de Braga como capital do Minho, parece-me algo ligeira essa análise.

Quanto ao horizonte 2013-2025, ele começa-se já a definir em 2012, com o Plano Diretor Municipal.