sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Reabilitação, PDM e Sete Fontes

Em notícia no Diário do Minho pode ler-se.

«É insustentável construir na periferia e deixar centro histórico desertificado»


13 Jan 2012 - José Carlos Lima/Alexandre Praça

Hugo Pires destaca oportunidade do PDM e dos planos de reabilitação
O vereador do Planeamento e Urbanismo de Braga promete um novo Plano Diretor Municipal (PDM) até ao final do ano, sem aumentar a área de construção. Em entrevista DM/RUM, Hugo Pires destaca a aposta na reabilitação urbana e no repovoamento do centro histórico e garante que as novas construções nas Sete Fontes não secarão este monumento. O também presidente da Fundação Bracara Augusta fala da Capital da Juventude e diz que quer o quartel da GNR renovado em julho, admitindo que a nova Pousada da Juventude pode não abrir este ano.

Em relação ao título nada a dizer.

No que diz respeito à notícia em concreto:
  • continuo a aguardar a consulta pública do PDM prevista desde 2009;
  • espero que a dita reabilitação urbana não siga a política das demolições das fachadas principais, ou os acrescentos nas mesmas, que se tem assistido; e que passe antes pela recuperação das fachadas históricas, com a criação de "áreas de reserva arquitectónica" onde todas as fachadas principais têm que cumprir a arquitectura vigente no conjunto envolvente, um sonho digamos;
  • espero também que utilizando a revisão do PDM, a CMB cumpra a promessa de permutas de terrenos urbanizáveis, retirando-os da ZEP das Sete Fontes e preservando assim o Monumento Nacional que engloba também a componente ambiental e arqueológica. Estariam assim criadas as condições para um Parque Urbano único em Portugal, com a possibilidade de construção de um Museu e Centro interpretativo da Água, núcleo Museológico, e todo um conjunto de elementos, fontes, lagos, ... que utilizariam a água do complexo das Sete Fontes.
O Património em Risco.
Siga o Blogue também no Facebook.